Assine o boletim informativo
Selecione a região de seu interesse e digite seu e-mail
Fazer sua inscrição
#243Setembro 2021

A Rosatom lançou o projeto “Proryv” (Breakthrough)

de volta ao conteúdo

A construção de uma unidade de energia sem precedentes, BREST-OD-300, teve início na cidade de Seversk. Trata-se de uma unidade com reator de 4ª geração, criada de acordo com o conceito de segurança natural.

Esse evento, sem exagero, tem importância global. “Com o início da construção do BREST, a Rosatom, a Rússia e toda a indústria nuclear ao redor do mundo estão na vanguarda” —  disse o chefe da AIEA, Rafael Grossi, que participou da cerimônia de lançamento do primeiro despejo de concreto por vídeo conferência.

“Somos todos uma grande equipe com uma ideia única: implementar aqui, em Seversk, o mais rápido possível, o que nunca aconteceu na história da humanidade, o que toda a comunidade nuclear mundial espera —  uma instalação nuclear realmente operacional de quarta geração”, —  disse o Diretor Geral da Rosatom, Alexey Likhachev, corroborando a declaração de seu colega.

BREST é o primeiro de sua espécie em muitos aspectos.

Segurança

“A implementação do projeto “Proryv” abrange a criação de uma nova geração de tecnologias de ciclo de combustível nuclear”, — d isse a presidente da TVEL, Natalia Nikipelova na cerimônia. O reator usará combustível misto de nitreto de urânio- plutônio (MNUP). Ao contrário do combustível MOX (óxido), o combustível de nitreto é mais denso, com uma temperatura operacional mais baixa e alta condutividade térmica. Isso significa que a transferência de calor dos conjuntos para o refrigerante é melhor e o combustível não superaquece. Espera-se que o combustível seja inteiramente produzido a partir de materiais reciclados de plutônio e urânio empobrecido.

Os refrigerantes de chumbo não reagem quimicamente com o ar e a água, que estão sempre presentes nas usinas nucleares. É justamente essa característica que possibilitou aprimorar o reator, torná-lo mais compacto e, portanto, mais competitivo economicamente em relação a outras usinas nucleares e fontes de energia limpa. Além disso, devido à alta temperatura de fusão- solidificação, se exclui a perda do refrigerante — e le simplesmente solidificará. A alta temperatura do refrigerante também permite equalizar a distribuição de energia e, consequentemente, a temperatura dos elementos combustíveis. “Há anos, muitos países procuram soluções para o projeto de um reator rápido resfriado a chumbo e, finalmente, poderemos ver um protótipo deste tipo”, —  declarou o chefe da seção para o desenvolvimento de tecnologias de energia nuclear da AIEA, Stefano Monti, que esteve presente na cerimônia e ficou impressionado.

Para o BREST, foi utilizado um design integral: o equipamento principal do circuito primário está localizado no circuito da planta do reator. A estrutura principal é feita de concreto metálico multicamadas, o que vai garantir a contenção de materiais nucleares mesmo em caso de emergência.

Amigável ao meio ambiente

A principal característica do BREST é que ele fará parte do Complexo Energético de Demonstração Experimental, que também incluirá um módulo de fabricação- refabricação de combustível e um módulo de reprocessamento. Uma das tarefas do BREST é elaborar o conceito de ciclo fechado de combustível nuclear. O projeto Proryv, do qual o BREST faz parte, é a concretização do sonho dos nossos antecessores de fechar o ciclo do combustível nuclear. Desejo o melhor a esse projeto. Ele pode realmente nos levar para o início de uma nova era. E estamos abertos para este futuro brilhante no qual a energia nuclear será usada pacificamente em todo o planeta.”, —  declarou Alessandro Alemberti, Gerente de Pesquisa e Desenvolvimento da italiana Ansaldo Nucleare, parabenizando os colegas da indústria.

“Os reatores rápidos podem não apenas fechar o ciclo do combustível, mas também gerenciar de forma otimizada os recursos naturais de urânio e reduzir a quantidade de resíduo radioativo. E se usarmos chumbo como refrigerante, podemos simplificar a tecnologia do reator e melhorar os índices de desempenho de segurança.”- disse o professor do Instituto de Tecnologia de Tóquio, Toru Obara, destacando os benefícios dos reatores rápidos.

Já o especialista em design do ITER, Jan Turgut, da Turquia, chamou a atenção para a redução de resíduos: “Um sistema em que a produção de combustível, sua reciclagem e o reator nuclear estejam localizados na mesma instalação reduzirá o custo do armazenamento temporário. Os problemas finais de isolamento de resíduos são quase completamente eliminados. Ao reutilizar os combustíveis, as necessidades de energia de longo prazo serão atendidas. E isso terá um impacto significativo, tanto do ponto de vista econômico quanto ambiental, nos países e no mundo como um todo.”

A maioria dos representantes da indústria nuclear global, que falaram na cerimônia, destacou que a energia nuclear evita emissões e previne impactos negativos ao meio ambiente.

Economia
Os criadores do BREST também terão que confirmar que os reatores que operam com combustível de nitreto e usam um refrigerante de chumbo são não apenas confiáveis e amigáveis ao meio ambiente, mas também econômicos.

A Rosatom tem grandes planos para reatores de chumbo. Alexey Likhachev disse que o reator de demonstração experimental é um protótipo de uma grande planta industrial. “Ampliaremos em larga escala a tecnologia de reator rápido de metal líquido para grandes unidades industriais em todo o país. Esperamos que também se torne objeto de nossa exportação.”, —  disse Alexey Likhachev. Segundo ele, próximo a meados do século XXI, o carro- chefe da estatal serão complexos de energia compostos por reatores térmicos, reatores rápidos, além de módulos de estações para fabricação e reprocessamento de combustível.

De acordo com Evgeny Adamov, o diretor científico de Proryv, existem planos de inovação para 18 anos à frente. E o futuro imediato é claro. Até 2023, um complexo industrial para a produção de combustíveis deverá estar operando. A construção do módulo de reprocessamento de combustível irradiado está prevista para começar em 2024. E o reator BREST-OD-300 deve entrar em operação em 2026.