Assine o boletim informativo
Selecione a região de seu interesse e digite seu e-mail
Fazer sua inscrição
#243Setembro 2021

A primeira unidade está pronta

de volta ao conteúdo

A primeira unidade da usina nuclear bielorrussa foi colocada em operação em 10 de junho. A usina já está ajudando os residentes da Bielorrússia a cozinharem e a usarem aquecedores com energia elétrica limpa…

“Assistimos a um evento histórico. A primeira unidade de energia de última geração III+, construída pela Rosatom no exterior, foi posta em operação comercial. Este é o resultado de muito trabalho realizado por uma equipe de especialistas altamente qualificados de dois países.”, —  disse o diretor- geral da corporação estatal Alexey Likhachev na cerimônia.

BelNPP é a primeira usina nuclear da Bielorrússia, localizada na cidade de Ostrovets. Consiste em duas unidades com reatores VVER-1200 com capacidade total de 2.400 MW. A vida útil dos equipamentos principais é de 60 anos, com possibilidade de prorrogação por mais 20 anos.

Antes da transição para a operação comercial, os especialistas da Rosatom fizeram um ótimo trabalho: verificaram a prontidão dos sistemas e equipamentos tecnológicos, realizaram testes e capacitaram o pessoal. Do momento da conexão à rede elétrica até a assinatura do certificado de aceitação, a BelNPP gerou quase 3 bilhões de kWh.

Fonte de energia elétrica para alimentos e calor

Presume-se que a BelNPP produzirá cerca de 18,5 bilhões de kWh anualmente. No futuro, a energia elétrica será usada como base energética para a implantação de novas tecnologias e indústrias. “Segundo nosso planejamento, sabíamos como seria utilizada a energia elétrica dessa usina nuclear … Em muitos países existe esse indicador — o fornecimento de energia elétrica, caracterizado pelo consumo de energia elétrica na indústria ou pela população, por pessoa. Quanto mais equipamentos elétricos, mais haverá uso de tecnologias modernas. O que consome energia elétrica? Robôs, bases de componentes modernos, veículos elétricos. Portanto, é claro que com o comissionamento de uma usina nuclear, temos amplas oportunidades para o desenvolvimento de novas indústrias.”, —  disse o Primeiro Ministro Adjunto da Economia da República da Bielorrússia, Yuri Chebotar, em entrevista à revista bielorrussa ctv.by

Assim sendo, o uso de energia elétrica amigável ao meio ambiente é mais comum, mas extremamente importante para o bemestar dos habitantes da Bielorrússia, como para o aquecimento, para a cozinha e para o abastecimento de água quente.

 

As autoridades bielorrussas começaram a criar e atualizar a infraestrutura organizacional e tecnológica em resposta à crescente demanda.

De 2019 ao final do 1º trimestre de 2021, os órgãos de fornecimento de energia que integram a Associação de Produtores do Estado de Belenergo receberam 47.550 pedidos de emissão de especificações técnicas para a ligação de instalações elétricas de edifícios residenciais a redes de energia para uso de energia elétrica para aquecimento e abastecimento de água quente. Para atender a esses pedidos, as autoridades bielorrussas criaram novos grupos de tarifas de energia elétrica para particulares e iniciaram a reconstrução das redes elétricas. “Atualmente, cerca de 1,7 mil km de redes elétricas são reconstruídas no país a cada ano. A partir do próximo ano, pretendemos aumentar o volume para 2,7 mil km para atender plenamente a essas solicitações”, —  disse o Vice-M inistro da Energia da República da Bielorrússia, Mikhail Mikhadyuk. De 2021 a 2025, está planejado alocar cerca de 1,5 bilhão de rublos bielorrussos para a reconstrução de redes elétricas aéreas de 0,4–10 kV na Bielorrússia.

Além disso, Mikhail Mikhadyuk garantiu que nos próximos cinco anos a Bielorrússia planeja comissionar mais de 2 milhões de metros quadrados de novas habitações, onde o aquecimento, o abastecimento de água quente e a cozinha serão abastecidos por energia elétrica.

Suporte de segurança

A NPP bielorrussa continua a garantir que a operação da planta atenda aos requisitos da AIEA… Nos dias 14 e 15 de junho, uma missão da AIEA foi realizada por videoconferência. Especialistas dos Estados Unidos e Argentina revisaram a autoavaliação da BelNPP sobre a implementação de recomendações e propostas nas áreas de “Suporte técnico” e “Experiência operacional” que a usina recebeu durante a missão Pre- OSART. A equipe da usina usará as avaliações e recomendações recebidas dos especialistas da AIEA para se preparar para a visita de retorno da equipe Pre- OSART, que ocorrerá em outubro de 2021.

Além disso, no verão, a Bielorrússia aguarda uma missão da AIEA sobre proteção física de materiais nucleares (IPPAS). Especialistas do Grupo Europeu de Reguladores de Segurança Nuclear -ENSREG virão à BelNPP em setembro. A missão ENSREG anterior operou na usina em fevereiro de 2021. No quarto trimestre de 2021, uma pós-missão de avaliação de infraestrutura regulatória integrada (IRRS) deve chegar à Bielorrússia que vai avaliar a implementação das recomendações de 2016.